quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

ENTREVISTA COM AUTORES DE LIVRO SOBRE LITERATURA MARGINAL.

***
4 dos principais pesquisadores da Literatura Marginal se reúnem em livro exclusivo de entrevistas...
Entrevistamos um dos autores, falando pela OBRA, com vcs Érica Peçanha.
Vamos saber um pouco mais da OBRA e convidar pro lançamento na terça, 23/2/16 no Sarau Suburbano.
Por: Alessandro Buzo



Alessandro Buzo: Nos fale do livro POLIFONIAS MARGINAIS? Quem teve a ideia? Como foi o processo?
R:
A história desse livro começou com a Lucía Tennina e o Mário Medeiros, que tiveram a mesma ideia de organizar um livro com entrevistas e entraram em contato para sondar minha opinião. O curioso é que eles não se conheciam (ainda hoje não se conhecem pessoalmente), mas ambos são amigos que fiz em função dos nossos interesses de pesquisa. Então, cogitei que seria bom apresentá-los e fazer com que desenvolvessem o projeto juntos. E eles não apenas gostaram da sugestão, como também, generosamente, convidaram a mim e a Ingrid Hapke para fazermos parte dessa empreitada.

Buzo: É um livro de entrevistas? Como assim?
R:
É uma obra que reúne algumas entrevistas que nós quatro realizamos para as nossas pesquisas de pós-graduação, que estão ligadas a diferentes áreas do conhecimento, mas têm em comum a discussão da presença de escritores negros e periféricos na cena literária contemporânea. As entrevistas foram editadas e distribuídas em quatro capítulos, um para cada pesquisador/a: Sistema literário, ativismo político-cultural negro e periférico (Mário Medeiros), Trajetórias, atuação e produção cultural (Érica Peçanha), Das teorias periféricas (Ingrid Hapke) e Saraus: poesia, gestão e território (Lucía Tennina).
Os títulos se referem às temáticas amplas de cada capítulo, mas é importante dizer que a estrutura do livro foi organizada como um bate-papo, a partir do qual colocamos os entrevistados para conversar, direta e indiretamente, sobre assuntos como trajetórias sociais, influências literárias, formas de classificação da produção, recepção e reconhecimento das obras, inserção no mercado cultural, relação com leitores e financiadores, presença das mulheres na escrita, engajamento político-cultural, saraus, negritude, periferia etc.

Buzo: Mário Medeiros, Érica Peçanha, Ingrid Hapke e Lucía Tennina, são os autores ... podemos dizer que é o quarteto fantástico dos pesquisadores da Literatura Marginal?
R:
Podemos dizer que são quatro pesquisadores, entre tantos outros, interessados em refletir sobre o lugar de grupos socialmente marginalizados na literatura brasileira. Possivelmente, alcançamos alguma projeção acadêmica porque eu e Mário publicamos livros resultantes de nossos trabalhos (Vozes marginais na literatura e A descoberta do insólito), e Lucía e Ingrid são pioneiras em levar essa discussão para a América Latina e Europa, além de serem tradutoras da literatura periférica. Também nos tornamos pesquisadores conhecidos nos diferentes espaços de fomento e circulação das produções literárias que estudamos porque estabelecemos laços de amizade com muitos daqueles que foram sujeitos de nossas pesquisas, em função da admiração, respeito e compromisso ético que temos para com esses produtores culturais.

Buzo: Os autores são de Berlim, Buenos Aires, Campinas e São Paulo, como vocês se reuniram, a distância influenciou de alguma forma?
R:
O livro foi construído, inteiramente, por meio virtual. Mas a distância só interferiu no tempo que levamos para terminá-lo, porque cada um de nós está num canto do mundo, dedicando-se a atividades diversas. No mais, todo o processo foi realizado de maneira coletiva e colaborativa.

Buzo: São 34 entrevistados, como os autores dividiram isso?
R:
Tivemos como ponto de partida as entrevistas que cada um fez para suas pesquisas de mestrado e doutorado, de modo que o livro abrange produtores culturais que se mostraram disponíveis e dialogavam com as preocupações centrais desses trabalhos, à época em que foram feitos.
Como são pesquisas concluídas entre 2006 e 20015, optamos por publicar conteúdos que se mantém relacionados e coerentes com as trajetórias de cada poeta ou escritor. Além disso, selecionamos entrevistas e temáticas que foram menos exploradas em nossas dissertações e teses, até para o livro ofereça um teor novo para quem já conhece as narrativas desses produtores culturais ou mesmo os nossos trabalhos.

Buzo: Considerações finais e convida galera para o lançamento no Sarau Suburbano dia 23 de fevereiro, quando você(Érica Peçanha e o Mário Medeiros vão estar presentes.
Érica Peçanha:
Agradecemos, imensamente, pelo convite e oportunidade de estarmos no Sarau Suburbano para fazer o primeiro lançamento dessa obra - infelizmente, sem a presença física de Lucía Tennina e Ingrid Hapke.
Ficaremos muito contentes em (re)encontrar entrevistados, amigos, familiares e interessados pelas literaturas negra, marginal e periférica nessa data.



Dia 23/02/16 - A partir das 19h30 (em ponto), abriremos o Sarau Suburbano com os autores falando da OBRA, 20h o sarau em si.....

Nenhum comentário:

Postar um comentário